Recursos/White Papers

Gestão

Três aceleradores do sucesso digital, segundo o Gartner

Líderes de Ti que quiserem ser bem sucedidos precisarão empregar uma combinação deles, cuidadosamente ajustada

Da Redação

Publicada em 24 de outubro de 2017 às 20h21

Os CIOs brasileiros devem apoiar o progresso de suas empresas em seu próprios e exclusivos caminhos de transformação digital, recomenda o Gartner. Que devem passar, necessariamento por estratégias para engajar toda a organização, definir o foco digital certo e usar as ferramentas certas para escalar negócios digitais.

A escala não é apenas sobre tamanho, de acordo com a consultoria. Ela ocorre para cima, para dentro e para fora, a partir do chamado scaling up, que permite a eficiência de condução para novas alturas, do scaling across, que leva rapidamente as capacidades aprendidas de uma organização para outra,e do escalonamento scaling out, que interconecta plataformas e ecossistemas internos e externos.

Além disso, os líderes de Ti que quiserem ser bem sucedidos precisarão empregar uma combinação cuidadosamente ajustada de três aceleradores de escala. São eles:

1- Destreza digital
Entenda por destreza digital um novo design organizacional e uma nova mistura de talentos para um novo ambiente de trabalho digital de alto desempenho. As organizações devem mudar internamente para mudar externamente, segundo o Gartner.

"Para escalar, precisamos de pessoas com destreza digital. Pessoas que são colaborativas, ágeis, analíticas, inovadoras e criativas. Pessoas que têm a capacidade e o desejo de explorar tecnologias existentes e emergentes para melhores resultados de negócios", afirma Cassio Dreyfuss, vice-presidente de pesquisa da consultoria.

Uma cultura digital requer três blocos de construção: Tecnologia, Engajamento e Diversidade. “É hora de construir sua tecnologia para a experiência do usuário e explorar habilidades experienciais, como pensamento de design, navegação guiada e testes dinâmicos de mercado. Estes se tornam suas ferramentas", afirma Hung LeHong, vice-presidente e Membro do Gartner.

"Invista em aplicativos SaaS que tornam mais fácil para os funcionários fazerem por si mesmos - coisas como visualização de dados e integração de aplicativos. Explorar assistentes pessoais virtuais para libertar todos de tarefas de baixo valor ".

O segundo bloco de construção de destreza digital é o engajamento. "Faça o engajamento e pessoas o centro de design para sua tecnologia e seus processos", afirma Dreyfuss. "Para isso, podemos usar a ciência das mudanças comportamentais. Por exemplo, usando defensores de pares, influenciadores confiáveis e governança social, nos aproximamos da criação da experiência correta dos funcionários".

O terceiro elemento para construir uma cultura de destreza digital é a diversidade. Os CIOs devem olhar para a exploração dessa multiplicidade em todas as formas, como talentos, fornecedores, origens, culturas e dados diversos. "A diversidade nos permite superar todas as maneiras para aproveitar o poder digital e da multidão", afirma LeHong.

"As organizações devem mudar internamente para mudar externamente. É preciso criar a cultura digital e fazer com que as pessoas se sintam confortáveis em usar a tecnologia em suas atividades", disse Dreyfuss, acrescentando que nesse cenário o papel do CIO é ajudar a criar essa cultura de destreza, em que as pessoas não precisam necessariamente ter conhecimento de linguagens de programação, ferramentas e softwares para tirar partido da tecnologia para suas atividades.

2 - Tecnologias de efeito de rede
As tecnologias de efeito de rede ajudam na transição do CIO para a tomada decisões táticas de tecnologia isoladas para construir uma plataforma de negócios digital estratégica integrada. Este conjunto único de tecnologias cria padrões virtuosos de crescimento, permitindo que o executivo lide com um ambiente em que as ondas disruptivas se acumulem, exponencialmente.

De acordo com o Gartner, as três tecnologias de efeitos de rede para focar em 2018 são: a Internet das coisas (IoT), interfaces de programação de aplicativos (APIs) e Inteligência Artificial (IA).

"Acreditamos que a IA será fundamental para resolver os desafios de segurança digital e IoT. Será uma defesa essencial, criando  continuamente risco adaptativo e respostas de confiança. Então, priorize seu investimento em IA, começando no topo de sua organização com líderes capacitados", explica Mike Harris, Vice-Presidente Sênior de Pesquisas do Gartner.

“A IoT escala o mundo físico, nos permite sentir, medir e mediar tudo, desde oleodutos até o corpo humano. Isso nos permite tomar melhores decisões mais rapidamente. À medida que o número de dispositivos conectados cresce, você passa da falta de informações para dados abundantes", afirma LeHong.

"Encontre pessoas capazes e ansiosas para incorporar todos os tipos de inteligência em IoT. Envolva profissionais de gerenciamento de dados para garantir que você tenha diversos dados de origem. Aproveite a destreza digital dos cientistas de dados", continuou o executivo.

Muitas empresas não poderão contratar as pessoas necessárias em IA e segurança para impulsionar a transformação digital. Há uma escassez de candidatos qualificados nesse campo. Os CIOs precisam se unir em suas organizações ao Recursos Humanos para encontrar uma solução. E isso incluirá alavancar IA.

Enquanto a IoT escala o mundo físico, APIs escalam os relacionamentos nos ecossistemas. Eles permitem que os CIOs conectem facilmente parceiros, funcionários e até concorrentes em uma rede vibrante e em escala web que oferece valor para todos. "O valor emerge lentamente e então ele se acelera rapidamente à medida que mais participantes são adicionados ao ecossistema e novas APIs são criadas. Esse é o efeito da rede", afirma LeHong.

Com a IoT escalando o mundo físico, e APIs escalando relacionamentos, pense em IA como no crescimento das pessoas. O Gartner acredita que a IA ajudará as pessoas, não as substituirá. Certos empregos foram perdidos em cada revolução tecnológica e novos trabalhos foram criados. Com IA, não será diferente.

"Os CEOs que estão dando prioridade ao digital estão desafiando seus Diretores de Recursos Humanos com a criação de um atraente ambiente de trabalho digital, que atrairá e irá reter as melhores pessoas. A solução para os CIOs e seus parceiros de RH é IA. Cerca de 10% dos CIOs agora estão usando IA no processo de recrutamento e gerenciamento de talentos. Isso irá ajudá-los a encontrar pessoas e a desenvolver seus colaboradores. A inovação permite combinar as melhores capacidades das pessoas com as melhores capacidades dos sistemas de aprendizado de máquina", explica Harris.

O potencial real da IA é o aumento das capacidades das pessoas, afirma o Gartner.

"O melhor uso da IA, hoje e no futuro, é o aumento das capacidades humanas. Haverá um período de transição difícil, mas o efeito líquido, no final, será positivo, com a criação de novos empregos. Uma máquina humana é mais inteligente do ela mesma. A máquina escala a pessoa. A pessoa escala a máquina”, diz Dreyfuss.

3- Industrializar a plataforma digital
Industrializar significa criar uma plataforma digital integrada e coordenada que permita adicionar ou interromper dinamicamente os jogadores ou mudar a relação entre eles. A plataforma digital industrializada desencadeia a destreza digital de sua força de trabalho e desbloqueia o potencial da tecnologia de efeito de rede.

"A beleza da plataforma digital industrializada é que ela permite que você crie valor em todas as direções em escala: para cima, para dentro e para fora. A criação de valor costumava ser unidirecional: da organização aos clientes. Agora, a criação de valor pode escalar em todas as direções, de qualquer pessoa, em qualquer lugar, para qualquer um, em qualquer lugar", afirma LeHong.

As organizações precisarão definir suas ambições digitais ao determinar o tipo de organização que querem ser. Sem a ambição do negócio digital, as organizações apenas possuem uma coleção de projetos. As organizações brasileiras não devem esperar mais. "Para 2018, elas devem definir duas prioridades: sobreviver e prosperar no difícil ambiente de hoje e, ao mesmo tempo, dar passos decisivos em seus caminhos de transformação digital", afirma Dreyfuss. 

E é preciso começar já
Os analistas do Gartner lembram que os disruptores digitais estão surgindo em todas as indústrias. Por isso é necessário que os CIOs  abracem urgentemente a transformação digital. De fato, uma vez que a receita para o setor digital atinge 20% do total da receita, a transformação digital não pode ser interrompida. 

Herris explica que os disruptores digitais estão fazendo duas coisas: encontrando novas oportunidades e atacando a fraqueza dos fornecedores estabelecidos.

"Os disruptores digitais buscam demandas de clientes não atendidas. Eles encontram maneiras de usar o excesso de capacidade da cadeia de suprimentos, exploram novas plataformas de conscientização e marketing e também capitalizam novos canais de distribuição. O segmento digital também expõe as fraquezas dos fornecedores estabelecidos”, afirma Harris.

Segundo o executivo, muitas grandes empresas estão tentando crescer mais rápido do que a concorrência, sem sucesso. Para melhor entender as melhores práticas, é importante desenvolver KPIs digitais em toda a empresa.

"KPIs digitais se tornarão a bússola empresarial, incorporada aos objetivos de desempenho de cada líder da organização. Os responsáveis devem medir os indicadores-chave, não os defasados. Os grandes players medem-se pelo número de parceiros registrados em seus ecossistemas. Você pode medir quantos ecossistemas você participa e as taxas de conversão em cada um. O digital permite medidas mais profundas e orientadas para os resultados, e elas se aplicam a todas as indústrias", explica Harris.

Os dados do Gartner mostram que dois terços de todos os líderes empresariais acreditam que  empresas devem acelerar o ritmo de digitalização. A nova geração de CEOs (Chief Executive Officers) acredita que suas empresas devem usar a tecnologia para obter uma vantagem competitiva.

 "Isso coloca os CIOs em destaque. Você faz parte da transformação digital. Mas isso não significa exatamente o mesmo para cada CIO. Para enfrentar o desafio digital, deve-se entender o que se espera e o que você realmente aspira ser”, diz Harris.

CIOtransdigital

Três funções situacionais para o CIO
Dentro da empresa, em qualquer dia e com qualquer parceiro, o tipo de liderança oferecida pelo CIO pode variar. Existem três papéis situacionais que incluem:

1 · O CIO Parceiro de TI, que opera de forma mais transacional, com foco em gerenciamento de serviços, área de TI, valoração para o investimento, além de se preparar para o digital.

2 · O CIO Construtor Digital que  está projetando e habilitando novos produtos e serviços e trabalhando com outros profissionais em toda a empresa.

3 ·  O CIO Pioneiro Digital que atua como empreendedor, alavancando tecnologias para construir novas capacidades, novos modelos de negócios e novos fluxos de receita para alcançar valor e escala digital.

"O valor digital pode ser gerado para otimização (eficiência) ou transformação completa, sempre com foco no crescimento. É melhor usado para inventar algo completamente novo. Isso é crítico, porque se sua organização não está criando novos modelos de negócios digitais ou novas maneiras de envolver colaboradores ou clientes, você está ficando para trás", afirma Harris.

O analista ressalta mais uma vez que  escalar não significa apenas aumentar. As maiores organizações não são as únicas que ganharão. No mundo emergente de plataformas e ecossistemas interligados, as organizações menores podem competir muito rapidamente com as maiores.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui