Recursos/White Papers

#Brandpost | Saiba mais Patrocinado por

Com participação especial de Glenn Greenwald, Gartner discute o cenário da cibersegurança

Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco, que acontece nos dias 8 e 9 de agosto, abordará o papel da segurança da informação e dos seus líderes em meio aos negócios digitais, hoje cada vez mais ameaçados pela escalada do terror cibernético

Por IDG Custom Projects - Para Gartner

Publicada em 12 de julho de 2017 às 13h52

null

Em menos de dois meses, o mundo foi tomado de assalto por dois dos maiores ataques cibernéticos de todos os tempos – cujas manchetes, assustadoras, não ficaram restritas apenas aos sites especializados em tecnologia.

Segundo a Interpol, o WannaCry, lançado em maio, atingiu mais de 150 países e 200 mil vítimas, incluindo o Brasil – a quinta nação mais afetada, com ataques aos computadores do INSS, do Judiciário e do Ministério Público, além de grandes empresas.

Já o Petya (ou NotPetya), vírus mais perigoso e sofisticado que o WannaCry, mas que segue a mesma linha de propagação em larga escala por meio de redes locais, foi identificado nas esferas pública e privada de 64 países, sendo a Ucrânia o epicentro. 

Para se ter uma ideia da capilaridade do ataque, ocorrido em junho, até os sistemas internos do Hospital de Câncer de Barretos, referência mundial nesse tipo de tratamento, e da Santa Casa da mesma cidade foram comprometidos: o atendimento em ambas as unidades foi interrompido e as consultas, suspensas.

Ameaça crescente, alerta permanente

Guardadas as devidas peculiaridades, o WannaCry e o Petya são duas faces (altamente nocivas) da mesma moeda. No caso, o ransomware – popularmente conhecido como "vírus sequestrador" – é o responsável por criptografar os dados ou acesso ao computador e demandar resgate em moeda digital para seu restabelecimento.

É um tipo de golpe que, segundo a Sonic Wall Global Response Intelligence Defense (GRID) Threat Network, cresceu 167 vezes em 2016 – foram 638 milhões de disparos, ante 3,8 milhões no ano anterior.

E o Brasil novamente despontou entre os alvos, respondendo por 92,3% dos ataques de ransomware na América Latina, segundo levantamento da Kaspersky.

Os números revelam que as organizações precisam levar a questão da segurança mais a sério em seu dia a dia. Pesquisas do Gartner, por exemplo, apontam que violações de dados são o tipo predominante de incidentes de cibersegurança, seguidas por malware, ransomware, ataques de negação de serviço (DDoS) e invasão a sistemas automotivos.

Para combater esses incidentes, o líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia avalia que as organizações precisam, entre outras prioridades, dispor de uma arquitetura de segurança adaptável, inteligente e que permita o controle de segurança com reconhecimento de contexto. A partir de sistemas flexíveis, versáteis e dinâmicos, os líderes de segurança e risco poderiam não só antecipar, mas também eliminar as ameaças virtuais.

Os negócios digitais e a agenda da cibersegurança

Por outro lado, com o avanço de ferramentas de automação, a velocidade imprimida aos processos organizacionais e o dinamismo demandado pela economia moderna, os cuidados com a segurança da informação vêm sendo negligenciados: mais da metade das organizações brasileiras (63%) não possuem um plano efetivo contra ameaças cibernéticas, segundo a Global Information Security Survey (GISS) 2016, realizada pela Ernst & Young.

“Produtividade, agilidade, eficiência, lucro e satisfação do cliente são alguns dos resultados positivos que os negócios digitais podem produzir. No entanto, as atividades desse modelo também expõem as organizações a novas ameaças e riscos. O volume e a velocidade com que essas iniciativas são tomadas apresentam aos profissionais de segurança e risco desafios sem precedentes”, explica Claudio Neiva, Vice-Presidente de Pesquisas e Chairman da Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco 2017.

O evento, que acontece nos dias 8 e 9 de agosto, em São Paulo, reunirá especialistas globais em segurança da informação em mais de 30 sessões – divididas em três eixos: "CISO e Programa de Risco e Compliance", "Programa de Segurança e TechInsights" e "Gestão de Identidade e Segurança de Dados".

“A agenda da conferência deste ano foi elaborada para preparar os CISOs (Chief Information Security Officers) para liderar na realidade em constante mudança da Segurança da Informação, abordando assuntos como as ameaças mais recentes, as novas arquiteturas flexíveis, estratégias de governança, o papel dos líderes de SI, entre outros pontos. É uma oportunidade única para compartilhar experiências e reinventar abordagens de segurança e risco para a era digital, com base nas recomendações práticas e pesquisas independentes, imparciais e confiáveis do Gartner”, completa Neiva.

Privacidade e espionagem

Conhecido por, juntamente com Edward Snowden, revelar à opinião pública os programas secretos de vigilância da Agência de Segurança Nacional dos Estados (NSA), Glenn Greenwald é o convidado especial da conferência.

O jornalista norte-americano, autor de diversos best-sellers e um dos dez maiores escritores de opinião da revista Newsweek USA, falará no dia 9 de agosto, das 17h às 17h45, sobre a importância da privacidade e os perigos associados à espionagem.

Junte-se ao CISO Circle

Além de apresentações direcionadas, a Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco 2017 irá oferecer aos líderes de segurança da informação e executivos de gestão de risco uma série benefícios por meio do programa CISO Circle. Entre eles: agenda sugerida com sessões em destaque, cafés da manhã exclusivos, mesa reservada no almoço para networking, acesso antecipado para agendamento de reuniões individuais com analistas do Gartner e prioridade de acesso à sala do keynote.  

Anote em sua agenda

Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco 2017

Quando: 8 e 9 de agosto (terça e quarta-feira)

Onde: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Av. das Nações Unidas, nº 12.559

Inscrições: clique aqui

Desconto especial: leitores da IDG Brasil possuem R$500,00 de desconto na inscrição. Basta usar o código BRSCCIO



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui