Recursos/White Papers

Gestão

Você conhece o The Leader’s Data Manifesto?

Documento junta-se a outros manifestos que pedem às organizações que pensem mais sobre o quanto os dados importam para as elas e como devem ativar o seu valor para que sejam de fato guias para o futuro dos negócios

Bergson Lopes *

Publicada em 19 de maio de 2017 às 08h37

As melhores oportunidades para o crescimento das organizações residem nos dados. Para muitos, os dados são o novo combustível que moverá a economia nas próximas décadas. Também é notório que os cenários atuais dos dados nas organizações envolvem variáveis maiores e mais complexas do que em um passado recente. O conceito de Big Data nos mostrou que as suas variáveis - o volume, a variedade, a velocidade, a veracidade e o valor agregado dos dados, em grandes proporções, são reais e mudaram a forma de como devemos utilizar os mesmos para apoiar as decisões e definições das estratégias empresariais.

As poucas empresas que conseguiram adotar este “conceito” de forma satisfatória, já fundamentam as suas decisões baseadas na predição. Essas previsões, com alto grau de certeza, nos dizem o que ocorrerá no futuro. Ao contrário do que estávamos acostumados em um passado recente, onde a maioria das decisões eram baseadas no histórico dos dados, no conhecimento do que ocorreu até uma determinada data.

Esta diferença de abordagem tem trazido vantagens significativas. De forma geral, as decisões são muito mais ágeis e assertivas. Tornando essas empresas mais competitivas em relação às demais.

Contudo, extrair o que há de melhor nos dados continua sendo um difícil desafio para a maioria das empresas. Na verdade, como profissional ativo da área há mais de 20 anos, sinto-me à vontade em afirmar que as empresas sempre adotaram o discurso de que os dados são ativos muito importantes, porém, em sua grande maioria, ainda não os tratam como tais.

Tive a oportunidade de acompanhar algumas das grandes revoluções que envolveram os “dados” no passado, como a adoção dos bancos relacionais, downsizing, implantação dos ERPs, soluções baseadas em BI e mais recentemente o Big Data. Boa parte dos projetos necessários para viabilizar essas mudanças nas empresas não atingiram o êxito esperado, pois, de forma geral, o foco foi dado exclusivamente nos aspectos tecnológicos, visando somente a implementação das novas tecnologias, esquecendo aspectos mais triviais como por exemplo, a cultura organizacional e a gestão dos dados.

gestãodedados

Engana-se quem acha que este tipo de problema ocorre somente no Brasil. Claro que com uma incidência um pouco menor, países mais desenvolvidos também sofrem com as mesmas adversidades.

Em abril de 2017, durante o evento mundial da DAMA International, o Enterprise Data World, um grupo composto por renomados consultores na área de Dados e Informações lançou um documento denominado “Data Manifesto”. O conteúdo do documento nos traz uma visão global do cenário atual de como os dados são vistos nas empresas e propõe a adoção de mudanças simples no nosso cotidiano, a fim de iniciar uma mudança cultural para diminuir os problemas oriundos de uma má gestão dos dados.

Vamos ao conteúdo do manifesto:

DATA MANIFESTO

As melhores oportunidades para o crescimento orgânico das organizações estão nos dados

Os dados oferecem um enorme potencial inexplorado para criar vantagem competitiva, novos trabalhos e riquezas, melhorar os cuidados com a saúde, manter todos seguros e melhorar a condição humana.

As organizações estão distantes de serem orientadas a dados

A maioria das empresas:

1.     Não sabem completamente quais dados possuem ou mesmo quais dados são os mais importantes.

2.     Confundem os dados com a tecnologia da informação ou digitalização, ocasionando o mal gerenciamento de ambos.

3.     Não possuem qualquer tipo de visão dos dados ou estratégia, definindo como os dados podem contribuir com seus negócios.

4.     Subestimam o esforço necessário para gerenciar os dados e carecem de estruturas organizacionais para fazer a gestão.

Muitas empresas estão conseguindo em pequena escala iniciativas de analytics, governança, qualidade e outros esforços. Ainda assim, não encontramos exemplos corporativos de mudanças fundamentais e duradouras, sem uma liderança comprometida e o envolvimento de todas as pessoas, em todos os níveis da organização.

E estamos plenamente conscientes do quão difícil será desbloquear o real potencial dos dados, tanto para cima quanto para baixo nas estruturas dos organogramas das empresas.

- Portanto, pedimos a todos que liderem a mudança 

Comitês, Gerências e Lideranças sêniores: Desafiem suas noções preconcebidas dos dados.

Vejam os dados não como os detalhes enterrados nas entranhas da TI e seus sistemas, mas como uma fonte ilimitada de novas oportunidades.

Percebam que o potencial dos dados não é visto apenas pelos especialistas, como por exemplo, os cientistas de dados, mas sim por todos, como uma forma da sua empresa se destacar verdadeiramente dos concorrentes.

Enxerguem os dados como uma forma de deixar os legados duradouros.

Considerem quais ativos de dados devem ser colocados em seus balanços patrimoniais.

gestãodedados

As lideranças devem prover aos envolvidos uma visão dos dados. Em um primeiro estágio focado em:

1. Cuidar melhor dos dados, com foco na qualidade dos dados mais importantes;

2. Experimentar diversas formas de trabalhar com os dados e obter uma vantagem competitiva;

3. Evoluir com um sistema de gestão mais adequado a severidade dos dados.

Todos que precisam dos dados para realizar seus trabalhos: Tornem-se agentes para impulsionar a mudança!
As oportunidades existem em grande quantidade, então escolham uma ou duas áreas de interesse;

Se possível, melhorando a qualidade dos dados, descobrindo métodos analíticos mais apurados, desenvolvendo novas métricas,  fornecendo uma ideia que quantifica o valor monetário dos dados ou utilizando os dados para construir pontes com outros departamentos.

Sejam mais proativos, comuniquem-se com os colegas de negócios, divulguem os conceitos, tornem-se mentores dos dados e ajudem as pessoas a criar suas próprias histórias de sucesso.

Continue com o trabalho
Estes são momentos motivantes e perigosos: motivantes, pois dados oferecem oportunidades para criar vantagens competitivas, criar e melhorar os produtos e serviços existentes, entender melhor as necessidades dos clientes e reduzir custos. E perigoso, pois será um trabalho árduo corrigir o que está errado e também aqueles que há muito tempo encontram dentro de si desvantagens desnecessárias.

Dê a este manifesto consideração profunda. Compartilhe. Debata. E faça funcionar em sua organização.

 

Este manifesto surgiu no mês passado, durante a Conferência Mundial de Dados Empresariais de 2017, em Atlanta, e já conta com a adesão de vários profissionais no mundo. 

Em nenhum momento o documento foca em aspectos ligados à tecnologia, mas sim em fatores culturais e ligados à gestão dos dados. 

São ações relativamente simples que podem e devem ser adotadas em qualquer empresa.

Se você concordou com o que leu e deseja aderir ao movimento, a adesão pode ser feita através da página do manifesto: https://dataleaders.org/read-manifesto/

 

(* Bergson Lopes é vice-presidente do Capítulo Brasileiro da Data Management Association (DAMA Brasil), CEO da BLR DATA e autor do livro Gestão e Governança de Dados



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui