Recursos/White Papers

Gestão

Há coisas que você precisa fazer antes de escolher um parceiro de automação

Cada vez mais, a automação inteligente vai transformar compromissos de terceirização. Saiba como agir anter de escolher os seus parceiros

Da Redação, com IDG News Service

Publicada em 28 de março de 2017 às 15h55

À medida que os fornecedores de serviços de TI se associam cada vez mais aos fornecedores de inteligência artificial e fornecedores de automação, desenvolvem seus próprios conjuntos de ferramentas de automação proprietários ou realizam aquisições direcionadas no espaço de automação e de IA, os clientes terceirizados podem buscar cada vez mais automação inteligente.

Há uma série de considerações para os líderes de TI e de negócios ao decidir quais provedores trabalharem dentro da área de transformação habilitada para automação. "Como os clientes consideram sua própria adoção de modelos de negócios digitais, eles precisam considerar como vão realizar a mudança de modelo de negócio significativa que esses novos modelos de serviço exigem", diz Peter Bendor-Samuel, CEO da empresa de pesquisa de terceirização Everest Research. "Essas mudanças são muito maiores e mais profundas do que aquelas que enfrentaram quando adotaram arbitragens trabalhistas por conta da terceirizácão excessiva", diz Bendor-Samuel.

No início, as empresas precisam ser claras sobre o que eles querem realizar, incorporando automação inteligente em seus acordos de terceirização. "Primeiro é preciso ter em mente que a automação e a IA não são sinônimos de uso de robôs", diz Phil Fersht, CEO da empresa de consultoria e análise de outsourcing HfS Research. "Muitas empresas estão assistindo demonstrações e tentando avaliar uma ferramenta em relação a outra, com base no que os fornecedores estão dizendo. A questão mais importante é: que forma de transformação empresarial você está tentando ativar e alcançar? "

Saiba o que você precisa e espera alcançar
Ter um entendimento claro do que o negócio espera alcançar com capacidades cognitivas ou automação inteligente é fundamental para colocar as propostas dos provedores no contexto. "Alguns fabricantes de ferramentas de automação e Inteligência Artificial informam que a velocidade é essencial. Outros dirão que  segurança e controle são itens chave", diz Fersht. "Estão todos certos, em situações específicas."

automacaointeligente

Os atuais clientes de um provedor que anuncia uma aquisição ou parceria precisam se certificar de que têm flexibilidade contratual e governança de relacionamento para se beneficiar dessas capacidades emergentes, diz David Borowski, diretor de consultoria de outsourcing Pace Harmon.

Mas trabalhar com um provedor nascente pode não ser necessariamente a melhor aposta. "À medida que a automação e a IA se tornam mais incorporadas no modelo de terceirização, a diferença entre o novo estilo de operações inteligentes e as operações tradicionais  está crescendo", diz Fersht.

"[A maioria] provedores existentes estão em conflito, já que seus atuais modelos de entrega de arbitragem são ameaçados por esses novos modelos de serviços digitais. Isso representa um dilema, pois os antigos provedores entendem o negócio existente, mas têm conflitos de interesse em se dirigir para os novos modelos de negócios ", diz Bendor-Samuel. "Além disso, muitas vezes eles não têm o conhecimento digital suficiente para ajudar o cliente em sua jornada de transformação digital." Como resultado, muitas empresas estão adquirindo novas empresas digitais para reposicionar-se, acrescenta Bendor-Samuel.

Determinados requisitos técnicos restringirão a lista de opções para muitos clientes. As empresas que buscam automatizar em áreas que envolvem dados sensíveis ou que buscam limitar a integração eo esforço de manutenção contínua encontrarão apenas alguns provedores capazes de atender suas necessidades, diz Fersht.

Tal como acontece com qualquer transformação significativa de TI, falar com aqueles que desceram esta estrada antes é importante. "Eu sugiro fortemente que os clientes recebam referências de clientes, tanto para entender experiências já realizadas  quanto para conhecer melhor como será uma implantação em escala", diz Fersht.

Os clientes de terceirização também devem considerar as implicações das métricas de governança e nível de serviço desses novos tipos de acordos de terceirização. "À medida que a penetração de serviços muda e as características da solução mudam, há também uma crescente questão sobre como medir o desempenho e o sucesso, e criar um relacionamento comercial com o provedor para participar desse sucesso de forma equilibrada".



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui