Recursos/White Papers

Gestão

Três dicas para livrar sua equipe das distrações que minam a produtividade

Veja como evitar que os colaboradores gastem boa parte do tempo realizando atividades que não geram resultados efetivos para os negócios

Gaylan Nielson *

Publicada em 01 de dezembro de 2016 às 18h21

Muitos gestores reclamam de um número cada vez maior de tarefas que tiram a atenção dos funcionários e acabam com a produtividade das equipes. Em outras palavras, as pessoas gastam boa parte do tempo realizando atividades que não geram resultados efetivos para os negócios.

Qual o segredo para manter as equipes afastadas das distrações cotidianas?

Sempre  
Garanta que cada colaborador saiba as tarefas que devem ser priorizadas. Com base na experiência de consultoria, descobri que os funcionários passam 50% do tempo em que se encontram no escritório realizando “falsos trabalhos”, os quais são aqueles sem conexão direta com a estratégia da companhia.

Interações com os colegas _ presenciais ou virtuais, através de redes sociais e chats _ e outras distrações durante o expediente são, na verdade, os sintomas de um problema mais sério: o fato de as pessoas trabalharem sem metas claras e expectativas concretas.

A chave para resolver essa questão é incorporar à rotina organizacional a atividade “traduzir” a estratégia da empresa em tarefas objetivas que devem ser realizadas pelos colaboradores. Além disso,  há a necessidade de incentivar o alinhamento entre os membros do próprio departamento, para que criem uma sinergia positiva e atuem sempre com o mesmo foco.

Para alinhar a atuação dos funcionários, no entanto, é preciso que o líder crie um ambiente de trabalho agradável e baseado nas relações de confiança e cooperação, bem como acompanhe os fluxos de trabalho e o desempenho individual de cada um.

gestaodotempo

Às vezes
O gestor deve marcar encontros individuais e coletivos com sua equipe para reforçar o papel do departamento na estratégia global da empresa. Nessa ocasião, o líder deve esclarecer quais as tarefas menos importantes e que devem ser coadjuvantes no dia a dia da área.

Nunca
O líder não deve assumir que a equipe entendeu quais são suas atribuições e deixá-la desamparada e sem monitoramento. É claro que não se pode ignorar comportamentos distraídos, mas o principal é valorizar aqueles funcionários que desempenham com excelência as tarefas principais - até se esses forem os mesmos que passam boa parte do tempo batendo papo com o colega do lado. Resultados práticos são resultados práticos.

 

(*) Gaylan Nielson é CEO do The Work Itself Group


Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui