Recursos/White Papers

Carreira

Dez dicas de como chamar atenção dos headhunters no LinkedIn

É importante construir um perfil mais atrativo, aumentar a rede de contatos com base em escolhas assertivas, interativas e com impacto pretendido

Da Redação

Publicada em 22 de junho de 2018 às 19h55

O LinkedIn tem se consolidado como principal ferramenta para relacionamentos profissionais. Presente em 200 países, a plataforma conta com mais de 530 milhões de usuários no mundo, sendo 45 milhões no Brasil.

Muitos profissionais que utilizam o serviço para relacionamento e exposição de suas conquistas profissionais, gostariam de saber um pouco mais sobre como ficar em evidências para os headhunters. Como essa é uma rede social com um propósito único e bem definido, além de não permitir uma postura informal, é desafiador lidar com ela.

Deve-se sempre ter em mente que essa o LinkedIn é focado no ambiente corporativo e o profissional deve evitar, desde o início, qualquer tipo de menção a sua vida pessoal. É importante construir um perfil mais atrativo, aumentar a rede de contatos com base em escolhas assertivas, interativas e com impacto pretendido.

Em um artigo publicado pelo IDG Now!,  Fernanda Andrade é gerente de Hunting e Outplacement da NVH – Human Intelligence deu algumas dicas do que headhunters como ela querem, ou não, ver no perfil do LinkedIn dos profissionais que recrutam. Confira:

Conteúdo - é importante compartilhar conteúdo interessante, de sua própria autoria, porém busque publicar textos que realmente revelem seu conhecimento profissional. Foque na sua área de atuação de maneira a não cometer gafes falando do que realmente não entende a fundo. Outro aspecto do conteúdo é a coerência entre postagens. Falar “de tudo” é bom em rodas de amigos, mas no âmbito profissional, superficialidade em vários assuntos não é o ideal.

Português – pode parecer óbvio, mas erros de português, jargões, expressões idiomáticas, são problemas recorrentes. Para transmitir confiança é bom ter o domínio da língua formal. Essa é uma plataforma de uso profissional, não há espaço para agir de forma descuidada e cometer erros básicos da sua língua.

Informações cadastrais – mantenha todos os seus dados sempre atualizados, com e-mail e telefone pessoais. É comum encontrar dados de contato como telefone e e-mail corporativos que se usava em sua última atuação. Isso não é bom, pois ao sair da empresa você fica incomunicável. O perfil do LinkedIn deve ser uma cópia do seu currículo, por isso é preciso mantê-lo legível, não poluído, com informações condizentes.

Experiência detalhada – procure sempre descrever as atividades e projetos que realizou nas empresas em que trabalhou. Mais importante que o tempo de trabalho são as conquistas que você realizou na organização, e que destacam sua expertise de mercado.

Conheça seus contatos – não saia adicionando todo mundo só para ter uma vasta lista de pessoas ligadas a você. Essa não é uma rede social de popularidade. É importante estar conectado a quem realmente se conhece ou compartilha interesses comuns no âmbito profissional.

Não saia atirando para todos os lados – não se candidate a vagas que não são do seu perfil.  Quando um headhunter procura um profissional, ele chega a receber 5 mil currículos para uma única posição, em média. Porém nem 10% deles corresponde às especificações da vaga. As pessoas ficam desesperadas em se recolocar que enviam currículo para qualquer vaga, e isso não só atrapalha como prejudica o seu perfil. Procure ver se o perfil da vaga não te exclui com coisas simples como nível de inglês, região de moradia, etc. Só se apresente como opção para aquilo que realmente está de acordo com quem você é.

LinkedIn não é Facebook – não use esses espaço para compartilhar e discutir assuntos como posições políticas, brigas por qualquer tipo de polarização, postagens religiosas, frases de efeito, postar fotos inadequadas, de animais, de “baladas”, ou mesmo de família. Você deve se portar como se porta no ambiente corporativo.

Cuidado com o que fala – ser educado deveria ser praxe, mas nem sempre é. Não fale mal de ninguém, muito menos de entrevistadores, feedbacks recebidos, etc. Isso pode fechar portas muito rápido.

Verifique sempre sua conta – não abandone seu LinkedIn. Entre ao menos uma vez por semana, interaja com grupos e produza algo relevante. Parabenize conquistas de amigos e faça o networking.

Perfis em outras línguas – Por último, se você domina outros idiomas, o LinkedIn te permite criar perfis em outros idiomas. Você pode literalmente criar currículos idênticos em línguas diferentes e torná-los visíveis para entrevistadores com vagas internacionais, ou que necessitam de domínio de outras línguas como fator chave. Além disso, ao menos em inglês é importante ter o currículo pronto, não por diferencial, mas por demanda mercadológica.

LinkedIn

Saber falar um segundo idioma, atualmente, é um requisito imprescindível para se destacar no mercado de trabalho. Por isso, Luiza Meneghim, diretora-geral da My Target Idiomas, lembra da importância de ter um perfil também em inglês no LinkedIn.

"Ao escrever o perfil em inglês, o candidato mostra sua flexibilidade e desenvoltura no idioma", afirma.

Para Luiza, é necessário apresentar uma redação bem redigida, com dados concisos e objetivos sobre o histórico profissional, contendo também suas habilidades, competências e especialidades. "Deve-se evitar o uso do tradutor automático: além de deixar passar erros comuns porque não analisa o significado do texto como um todo, ele pode fornecer tempos verbais que não são utilizados para certas situações em inglês e falsos cognatos", aconselha.

A especialista lembra algumas expressões importantes para formular um currículo em qualquer língua. Verbos de ação, como improve (melhorar), implement (implementar), generate (gerar), organize (organizar), help (ajudar), carry out ou perform (realizar), develop (desenvolver) ajudam a descrever de que formas o profissional contribuiu para alcançar resultados no emprego anterior. Cada área de atuação tem suas próprias expressões e jargões, utilizá-las também é demonstrar fluência sobre o tema.

"O LinkedIn tornou-se o principal espaço para desenvolver projetos, divulgar artigos e estimular de contatos profissionais, atraindo desde pequenas empresas a grandes multinacionais. Ter um currículo em inglês abre janelas para um mundo de possibilidades, tornando o perfil internacional", finaliza.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui