Recursos/White Papers

Carreira

Quatro formas de melhorar a oratória e a reputação em 2018

Aumentar a fluência verbal traz ganhos não apenas para falar a grandes plateias ou em reuniões de trabalho. Melhora a comunicação em todos os aspectos, permitindo transmitir mensagens claras e objetivas que atinjam os resultados esperados

Reinaldo Passadori *

Publicada em 05 de janeiro de 2018 às 19h40

Quando se trata de reputação, pessoas são aquilo que comunicam. As imagens que temos dos outros podem ser totalmente diferentes do que eles realmente são, em função das mensagens transmitidas — ou da falta delas.

Aumentar a fluência verbal traz ganhos não apenas para falar a grandes plateias ou em reuniões de trabalho. Essa atitude melhora a comunicação em todos os aspectos, permitindo transmitir mensagens claras e objetivas que atinjam os resultados esperados.

Assim, veja quatro maneiras de melhorar a comunicação verbal interpessoal e em público, potencializando as mensagens para que estas acertem os alvos.

1 - Montar o roteiro
Independentemente de conduzir uma conversa ou falar em público, o roteiro faz toda a diferença. Acontece que, em conversas, as pessoas o fazem automaticamente de acordo com o andamento do assunto. É comum preocupar-se mais com o roteiro quando surge a necessidade de falar em público.

O roteiro deve ser desenvolvido considerando as necessidades da audiência, com base no perfil mais comum, buscando imaginar quais são suas expectativas.

A seleção das ideias em ordem lógica, de forma que permita uma transição leve e natural entre elas, ajuda na fluidez da fala. O conteúdo teórico deve trazer temas atuais, dependendo do assunto, preferencialmente com informações novas, que acrescentarão algo à audiência.

Se couber a inclusão de conteúdo visual, é importante verificar a relevância e pertinência com o assunto, e, se for necessário o apoio de equipamento tecnológico, a transmissão da mensagem ficará facilitada. Deve-se, entretanto, ter o cuidado de não ficar dependente do equipamento.

2 - Estudar o tema
Não importa o quanto o tema esteja dominado. Estudá-lo mais sempre trará à tona particularidades e especificidades que podem fazer a diferença em uma palestra, mesmo porque qualquer pessoa, ao falar em público, precisa dedicar atenção a quem ouve e não ficar preso ao roteiro ou equipamento tecnológico utilizado.

O palestrante deve dominar o assunto e, além disso, provar o controle a cada segundo. Essa postura transmite autoridade e aumenta a percepção que o público forma sobre quem fala. E mesmo que não seja palestrante, dominar o assunto é uma habilidade de comunicação imprescindível para a carreira.

Para ajudar, vale treinar em frente ao espelho, especialmente para conferir expressões faciais e corporais e checar se o discurso passa autoridade e confiança.

comunicacao

3 - Ter postura e linguagem corporal
Ao falar em público, em uma reunião de gestores ou com o conselho, postura e linguagem corporal são diferenciais para os quais poucos se atentam. Entretanto, o público ouvinte, especialmente nesses casos, é bem experiente e consegue detectar até mesmo pequenas falhas no comportamento. É preciso estar relaxado para se comunicar bem, pois o nervosismo impede a transmissão correta da mensagem e seu correto entendimento por parte dos interlocutores.

Uma boa dicção e respiração são alcançados por meio de exercícios práticos diários, e podem gerar um ganho de qualidade de proporções inimagináveis na comunicação.

Quando prestamos atenção em telejornais, seus âncoras e apresentadores, percebemos como a dicção perfeita facilita a comunicação.

Ao falar em reuniões ou para grandes públicos, o palestrante nunca deve se prender a determinado lado da audiência. Essa falha na postura demonstra menosprezo para com a plateia. Deve-se dirigir a toda a audiência, considerando os que estão assentados à frente, aos lados e à parte final do auditório.

4 - Contar com ajuda especializada
Todo profissional que deseja impulsionar a carreira precisa rever seu planejamento e reescrevê-lo de forma a se atualizar sobre as tendências de mercado e as novas exigências. Concentrar esforços em desenvolver o marketing pessoal, potencializar traços fortes e trabalhar em pontos de melhoria são atitudes que aumentam a performance.

Curiosamente, algumas ferramentas utilizadas pelo coaching são próprias para alcançar esses objetivos e são especialmente eficazes. Desenvolver a oratória deixou de ser diferencial para se tornar necessidade de carreira. Assim como outras habilidades, como inteligência emocional, capacidade de trabalho em equipe e administração de conflitos, as organizações começam a buscar essa característica nos candidatos a cargos de alto escalão.

Fato é que profissionais competentes precisam desenvolver habilidades de comunicação e capacidade de expressar o quanto são importantes para a empresa, fazendo-se valer do marketing pessoal para reforçar sua relevância.

Empresas que não são vistas correm o risco de serem esquecidas, e o mesmo acontece com os profissionais. Da mesma forma que o marketing trabalha a imagem e a comunicação das organizações, mostrando os benefícios de produtos e serviços, o profissional também precisa manter as luzes acesas sobre seus diferenciais.

Afinal, os tesouros acumulados durante uma carreira repleta de empenho, dedicação e renúncias não podem permanecer enterrados.


(*) Reinaldo Passadori é especialista em Comunicação Verbal e presidente do Instituto Passadori Educação Corporativa



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui