Recursos/White Papers

Carreira

Tarefas tradicionais de TI rumam rápido para a extinção

Mudanças rápidas nas tecnologias - e necessidades de negócios em constante evolução - tornam a reinvenção de carreira uma questão de sobrevivência na indústria de TI

Da Readção, com IDG News Service

Publicada em 15 de maio de 2017 às 08h49

Lembra do CD-ROMs? Rob Terry sim. Por alguns anos, em meados da década de 1990, ele ajudou a desenvolver discos interativos para várias empresas, incluindo publicações da IDG. O trabalho de Terry era criar versões eletrônicas da revista que se relacionasse com a novidade na qual todos esavam interessados na época: a Internet.

"A promessa dos CD-ROMs era ser uma unidade óptica mágica que resolveria todos os nossos problemas de armazenamento", diz ele. "Na época, a criação de masters era cara e misteriosa. Para os CDs web/híbridos, tínhamos que marcar todos os hiperlinks com a mão dentro do Word e enviar os documentos para uma empresa em Seattle que os analisaria para exibir dentro de um navegador . "

Em seguida, a web decolou como o meio de publicação, transformando instantaneamente discos interativos em discos de plástico brilhantes, para decoração.  Terry  deixou de trabalhar com publicação eletrônica e mergulhou no mundo do e-commerce. Depois, seguiu para a bio-informática, projetando interfaces de usuário para uma ampla gama de clientes. Agora ele é CTO e fundador da Smart Catch, que ajuda a pesca comercial inteligente a gerenciar os peixes que acabam em suas redes de arrasto.

A indústria de TI viu muitas dessas ondas onde a "próxima grande coisa" acabou por ser menor e de vida mais curta do que se esperava, graças às rápidas mudanças tecnológicas. Naquela época, a Internet era o grande fator de mudança. Hoje, a automação e a Inteligência Artificial como um serviço estão fazendo com que alguns trabalhos desapareçam e outros mudem radicalmente de forma.

Aqui está um olhar sobre os tipos de empregos de tecnologia - até mesmo alguns dos mais quentes hoje, como desenvolvedores e cientistas de dados - que poderão um dia encontrar-se na pilha da sucata digital e como você pode evitar entrar em um beco sem saída.

Línguagens mortas
No passado, a especialização em uma determinada disciplina de tecnologia era quase garantia de emprego. Agora pode ser um bilhete para a aposentadoria involuntária.

"Quando comecei na indústria de TI, fiz um monte de trabalhos em servidores Windows", diz David Cox, CEO e co-fundador da LiquidVPN, um serviço anônimo de rede virtual privada. "A ascensão do Azure e a aquisição do Linux colocou a maioria dos administradores do Windows fora do jogo. Muitos dos meus antigos colegas tiveram que aprender Linux ou mudar inteiramente de área. "

Quanto mais um trabalho estiver ligado a uma linguagem, sistema operacional ou produto específico, mais provável será de se tornar eventualmente obsoleto, observa James Stanger, diretor sênior de desenvolvimento de produtos da CompTIA, uma associação comercial da indústria de TI.

"Os trabalhos de TI que vejo ameaçados são os repetitivos e aqueles que se concentram em apenas um tipo de SO ou sistema de fornecedores", diz ele. "Hoje o jogo não é mais sobre o fornecedor ou o sistema operacional. É sobre onde reside a informação e quão útil você é para armazenar, manipular e proteger as informações. É tudo sobre conectar vários sistemas. "

O exemplo clássico é Cobol, diz Elizabeth Lions, coacher executivo, autor e presidente da Lionsology, uma consultoria de liderança de trabalho. Como os sistemas legados em mainframe permanecem em operação em grandes instituições financeiras, o envelhecimento dos boomers com essas habilidades ainda pode render alguns trocados. Mas há muito menos oportunidades do que antes, e eles não estarão por aí por muito mais tempo.

"Qualquer pessoa com as palavras 'operador de computador' em seu título de trabalho - pessoas que trabalham em mainframes ou lidar com armazenamento em fita - estão começando a desaparecer", ela diz. "Os programadores Cobol estão bem junto com eles. Nós ainda os pagamos generosamente, e quando você precisa de um, você realmente precisa de um. Mas eles estão se tornando obsoletos. "

O mesmo vale para a demanda de codificadores em C e C ++, diz Lions.

"O mundo inteiro foi para Java ou .Net. Você ainda encontra codificadores C ++ em empresas financeiras porque seus sistemas são construídos sobre isso, mas eles estão desaparecendo. "

Da mesma forma, Smalltalk, Flex e Pascal eram todas as línguas comumente usadas ao mesmo tempo, observa Geoffrey Bourne, CTO do local de trabalho Ladders.

"Mas passaram rapidamente de linguagens populares para serem apenas úteis para a manutenção de sistemas mais antigos", acrescenta. "Engenheiros e programadores precisam aprender continuamente novos idiomas, ou estarão condenadas a manterem sistemas em vez de criarem novos produtos."

Julia Silge, cientista de dados da comunidade de programadores online Stack Overflow, diz que ver o que os profissionais de tecnologia estão falando sobre as perguntas e respostas do site  é uma boa maneira de desenvolver novas linguagens e habilidades.

Alguns anos atrás, quando Silge percebeu que Ruby on Rails estava aparecendo nas tags de Q & A, mais freqüentemente nos dias de semana do que nos fins de semana, ela percebeu uma mudança clara. A linguagem preferida pelos desenvolvedores em seu tempo livre havia se tornado mainstream.

Hoje, ela diz, a demanda por habilidades em PHP, WordPress e LAMP estão vendo um declínio constante, enquanto novos quadros e linguagens como React, Angular e Scala estão em ascensão.

Mas o domínio de linguagens é um alvo constante, observa Bob Melk, presidente do site de carreiras Dice.

"Neste momento, Java e Python estão muito quentes", diz. "Em cinco anos, no entanto, podem não estar." "Que linguagens de programação podem superá-las?" O tempo dirá. A chave é ficar no topo dos dados.

decosemsaida

Administradores de sistemas também estão acabando

Graças à imensa migração para a nuvem, as listas de empregos que envolvem a manutenção da infraestrutura de TI, como engenheiro de rede ou administrador de sistemas, estão tendendo para baixo, observa Terence Chiu, vice-presidente do site Careers Prime. Mas em vez de desaparecer inteiramente, alguns trabalhos de administração estão migrando da TI para outras áreas da organização.

"Anteriormente, os candidatos a emprego com alta demanda de habilidades técnicas e experiência foram contratados principalmente em departamentos de TI", diz ele. "Atualmente, os conjuntos tradicionais de habilidades de TI estão em demanda em uma ampla variedade de departamentos - desde a engenharia e gerenciamento de produtos até a inteligência de negócios e até mesmo o design."

Em vez de ficar à espreita na sala de servidores, muitos administradores de sistemas podem ser encontrados em departamentos de marketing ou de vendas que gerenciam as implementações de CRM de suas empresas, observa Stanger da CompTIA. Mas ele acrescenta que os administradores de TI ainda podem permanecer relevantes ao sintonizar suas habilidades para a era cloud-mobility-IoT .

"Como para que tudo isso funcione são necessários acordos de nível de serviço, o trabalho do administrador do sistema será gerenciar os fornecedores de nuvem", diz ele. "Isso significa que eles vão precisar da capacidade de ler através de um contrato, entender as ramificações, e transformar linguagem técnica em algo que os gerentes de negócios consigam entender."

Por sua vez, os administradores de rede que quiserem permanecer relevantes ​​precisam se acostumar com a arquitetura em nuvem, diz Melk. Na pesquisa Dice 2017 , os salários dos especialistas em redes e armazenamento subiram mais rápido do que o de qualquer outro trabalho de TI - mas apenas para aqueles que conheciam bem a nuvem.

"Administradores que só sabem lidar com roteadores e hardware de rede devem evoluir para conhecimentos baseados em nuvem e SDN", diz ele.

O mesmo vale para os administradores de banco de dados da velha escola, observa Todd Loeppke, CTO na Sungard Availability Services.

"O banco de dados como um serviço minimizou a necessidade de cada departamento de TI ter um administrador de banco de dados", diz ele. "DBAs ainda são necessários, apenas não muitos. Se eu fosse um DBA Informix nos últimos 20 anos e não tivesse interesse em aprender a modernizar minhas habilidades, então eu vou estaria significativamente limitando minhas opções.

labirinto

Definitivamente, o trabalho está encolhendo

Outros trabalhos quentes em tecnologia, em algum momento, não estão morrendo, mas estão encolhendo. Papéis que antes eram uma ocupação em tempo integral passaram a fazer parte de um portfólio de habilidades, graças em grande parte a ferramentas mais sofisticadas que simplificam e automatizam.

Ao mesmo tempo, o webmaster, especialista em SEO e estrategista de mídia social passaram a fazer parte das responsabilidades do cotidiano de um profissional de marketing.

Uma transformação semelhante está acontecendo agora com a análise de dados. Todos os dias, o mercado de trabalho de  Big Data fica um pouco menor.

"Há dois ou três anos, todos a demanda por profissionais de Big Data estava em toda parte", diz John Reed, diretor executivo sênior da Robert Half Technology. "Nós realmente não ouvimos mais esse termo. Agora são apenas dados. As empresas que identificaram a sua estratégia e colocaram a sua tecnologia e seus dashboards em uso, não precisam mais recrutar um bando de engenheiros de Big Data.

Embora os dados sejam mais importantes do que nunca, as ferramentas usadas para compreendê-los e manipulá-los estão melhorando ainda mais rapidamente.

"Agora, a maioria dos cientistas de dados tem um Ph.D para fazer o seu trabalho", diz um profissional da Stack Overflow. "Em cinco a 10 anos, muitas pessoas que fazem o que eu faço terão bacharelado e treinamento mais especializado."

Gurus de banco de dados também poderiam estender suas carreiras, tornando-se analistas de dados, sugere Jim Isaak, um ex-presidente da IEEE Computer Society que trabalhou para DEC, IBM e Intel por mais de 30 anos.

"Mas cada campo tem uma janela", observa. "A análise de dados está explodindo hoje e, provavelmente, montando a crista da onda. Dez anos a partir de agora eu tenho certeza que as habilidades serão importantes, mas você provavelmente não estaria trabalhando para a mesma empresa ou teria o mesmo cargo ".

Quente hoje, em baixa amanhã

Agora, os trabalhos mais quentes estão mirando od desenvolvedores, sejam eles de front-end, back-end, móvel ou tudo isso junto, diz Chiu, da Careers Prime.

Mas isso pode mudar relativamente rápido graças às melhorias da Inteligência Artificial, adverte PK Agarwal, da Northeastern University-Silicon Valley, que oferece programas de certificação e de graduação em negócios, gerenciamento e tecnologia para profissionais corporativos.

"Se eu visse uma bola de cristal, diria que não acho que o mundo vai precisar de tantos codificadores depois de 2020", observa Agarwal. "Noventa por cento da codificação está pegando algumas especificações de negócios e traduzindo-as em lógica de computador. Isso é algo que a aprendizagem de máquina e AI low-end farão."

Um outro trabalho quente que deve esfriar é o de engenheiro de IoT, acrescenta Isaak. Agora os técnicos que sabem escrever sistemas operacionais para dispositivos de IoT têm amplas oportunidades. Em alguns anos, quando o mercado de IoT estiver maduro, eles poderão ser desnecessários.

"O que aconteceu com o PC nos anos 80 também vai acontecer com o IoT", diz ele. "Naquela época havia centenas de alternativas: o Sinclair, o TRS 80, e assim por diante. Em alguns anos nos concentramos todos em dois mundo: IBM e Apple. Veremos o mesmo acontecer com IoT. Se você quer uma carreira em IoT, você vai querer manter seus olhos acima da água para ver quais serão as oportunidades futuras.

Aprenda ou mova-se

Sua melhor defesa contra encontrar-se preso em um beco sem saída no mercado de trabalho é abraçar novas tecnologias e nunca parar de aprender, diz Agarwal.

"Você consegue se reinventar? Você pode ter o conhecimento que você tem e passar para a próxima geração? Aprendizagem ao longo da vida será a chave para os profissionais de TI", diz ele.

O desenvolvimento contínuo de habilidades pode abrir um mundo de possibilidades para profissionais de tecnologia, acrescenta Melk Dice.

"Nós não acreditamos que exista tal coisa como um" trabalho sem saída "na TI", diz ele. "Mas os trabalhos estão mudando o tempo todo, e isso é um verdadeiro ponto de dor para os profissionais de tecnologia. As habilidades que aprenderam na faculdade e construíram ao longo do tempo ainda podem ser relevante, mas elas precisam ser atualizadas e estendidas.

Tech está em constante evolução.  Se você quiser evitar bater um beco sem saída na sua carreira, precisa estar também.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui